Leia mais: http://www.compulsivo.com.br/2008/06/como-habilitar-formulario-de.html#ixzz0v7FJ1bXV Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives Histórias & Cia: Passeio ao Zoológico

Histórias & Cia

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Passeio ao Zoológico

Vera dava aula em uma escola estadual para uma turma de 3a. série. Eram alunos carentes e muitos com dificuldades de aprendizagem. Dentre eles, destacava-se o Beto.

Beto era magro, loiro, com cabelos cortados como se tivessem colocado uma tigela sobre sua cabeça. Tinha o rosto manchado devido à desnutrição. Trazia nos olhos um brilho de esperança, mas uma esperança muito distante... e um sorriso que Vera não conseguia distinguir se era de tristeza ou somente de uma esperança por vir...

De fato, seus olhos e sorriso combinavam com a vida que levava. Beto vivia com a mãe e um irmão mais velho. Sua mãe vivia embriagada e, às vezes, era levada carregada para casa. Dinheiro era uma coisa rara... roupas novas, brinquedos... nunca! Quando ganhavam alguma coisa, já era usada e bem usada!

Beto, possuidor de uma autoestima (sem hífen, conforme novo acordo ortográfico) baixíssima, não fora alfabetizado, lendo apenas palavras simples e com muita dificuldade. Essa condição o tornava um aluno indisciplinado que perturbava o andamento da aula.
Vera, conhecedora da história de Beto, procurava dar-lhe atenção incentivando-o constantemente. Certa vez, teve um passeio na escola e Beto conseguiu o dinheiro com um tio para participar da excursão. A mãe vendo todo aquele dinheiro, sugeriu que ele comprasse um par de tênis, pois o menino já estava indo de havaianas para a escola. Com muita tristeza ele aceitou a sugestão e não foi ao passeio. No dia do passeio, depois que os colegas já haviam ido, Beto confidenciou a professora sua tristeza. Vera compartilhou a tristeza com o garoto.

Algumas semanas mais tarde, haveria um passeio ao Zoológico. Com ajuda de outros professores, Vera presenteou Beto com o ingresso para a excursão. Na semana do passeio, ele não dormiu e não falava de outra coisa na escola.

Durante o passeio, Beto não continha seu espanto enquanto olhava pela janela do ônibus, confessou que nunca saíra do bairro e nem nunca andara de ônibus. Sua emoção era tanta que foi preciso fechar a janela para que o menino não se machucasse.

Beto ficou extasiado com tudo que via a sua volta. Quando entraram no zoológico, a professora precisou segurar sua mão com força, pois sua primeira intuição foi entrar no lago dos cisnes.

E os macacos? Beto queria se pendurar como eles nas árvores. Vera não podia soltar sua mão nem por um segundo.
Se encantou com a zebra, com os leões, com os elefantes, com os tigres...
Beto queria correr, queria ver-se livre... queria rolar pelo chão do zoológico, tamanha era sua alegria...
A cada animal que conhecia, seu sorriso resplandecia e seus olhos... ha, se pudéssemos descrever a felicidade contida em cada olhar...
De todos os animais o que mais encantou Beto foi a girafa... o menino não cansava de admirá-la... nunca pensara em conhecer um animal tão gracioso e desengonçado ao mesmo tempo... era como se as figuras que havia visto em livros distorcessem a imagem real da girafa.
No final do passeio, Beto estava exausto como nunca estivera antes! Adormeceu no ônibus com um sorriso nos lábio que Vera, a professora, jamais pode esquecer.
Fora o dia mais importante da vida de Beto.
(História Real - 2002 - Nomes dos personagens preservados)


















0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial